Diretor da PF é exonerado e Moro deixa o governo

0
1017
ministro Sérgio Moro se demite
REUTERS/Adriano Machado

Ministro da Justiça, Sérgio Moro, confirma sua demissão, após exoneração do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo.

Contudo, a troca de cargo era dado como certo desde a tarde da última quinta-feira (24), quando Bolsonaro avisou Moro da decisão e ouviu de volta uma ameaça de demissão do seu “super ministro”.

Após a efetivação da saída de Valeixo, Sérgio Moro marcou uma entrevista coletiva para às 11 horas desta sexta-feira (24), em que explicará sua decisão de acompanhar seu aliado.

Conforme consta no Diário OFicial da União (DOU), a saída de foi “a pedidos” do próprio Valeixo. Nenhum nome foi indicado, ainda, para ocupar o seu lugar.

PERMANÊNCIA DE MORO

O Palácio do Planalto ainda tentaram negociar a permanência do ministro da Justiça. Uma solução vinha sendo discutida pelos ministros da Casa Civil, Walter Braga Netto e da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

Pelo que foi possível apurar, o ministro sinalizou que estaria disposto a fazer um acordo, desde que a decisão da sucessão seja sua.

Segundo aliados, um dos nomes que conta com a simpatia de Moro, é o diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional, Fabiano Bordignon.

POLICIAIS PREOCUPADOS

Para membros da PF a decisão de Jair Bolsonaro para pressionar uma saída de Moro, quer na realidade frustrar a independência da corporação.

A saída de Moro teria várias implicações, mas o foco estaria no fato que sua saída permitiria ao presidente nomear alguém de sua confiança. Atitude que faz sentido tendo em vista que há algum tempo a família Bolsonaro e sua rede de apoio andam sob a mira da Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui