Justiça impede reabertura em Brasília

0
59
Ibaneis rocha
Frederico Brasil/Futura Press/Estadão Conteúd

Novamente a Justiça interferiu nos planos de reabertura da economia do Distrito Federal. No último sábado, Katia Balbino, juíza federal, proibiu o GDF de flexibilizar as medidas de isolamento.

O pedido para impedir a reabertura do comércio no DF, partiu de uma ação conjunta do Ministério Público Federal (MPF), do Ministério Pública do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e do Ministério do Trabalho (MPT). Segundo os órgãos, o DF vive um momento de aumento expressivo nos casos de coronavírus, o que justifica a manutenção das medidas de contenção.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) informou que vai recorrer da decisão. Ibaneis acredita que está ocorrendo uma interferência indevida no direito de governar, e que acredita que a capital já tem condições de uma reabertura gradual.

“Não abriria nada se não tivesse segurança para agir nesse sentido. Recebi estudos e com base nestes levantamentos que estou tomando todas as medidas. Até agora não errei. Basta comparar os índices do Distrito Federal com os de outros estados”, explicou.

PRAZO DE DEZ DIAS

A juíza que bloqueou a erabertura, deu na sentença um prazo de dez dias para que o Executivo local apresente dados que embasem a abertura.

Além disso, o GDF terá que apresentar um estudo sobre as projeções do avanço da Covid-19, com base no isolamento social de 60%, 40% e 35%.

Segundo o último boletim epidemiológico, a Secretaria de Saúde do DF informou que já são 33.227 casos do novo coronavírus.

Para o epidemiologista da Universidade de Brasília (UnB), Jonas Brant o momento não é oportuno para a flexibilização. “Estão querendo adotar medidas que, em outros países, só foram implementadas quando a taxa do número de casos estava estabilizada. Não é o que ocorre aqui”, alertou.

A FAVOR DA REABERTURA

Representantes de diversos setores não concordam com a decisão judicial. O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar-DF), Jael Antônio da Silva, afirma que ao que tudo indica está surgindo um governo paralelo. “Estão tirando o direito do governador de governar. QUem tem que decidir é o governo, ele que está acompanhando”, afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui