STF decide que Weintraub será investigado

0
64
Abaraham Weintraub
Lula Marques/Fotos Públicas

O Supremo Tribunal Federal (STF) decide por 9 a 1 que o ministro da Educação, Abraham Weintraub deve permanecer no inquérito que apura ofensas e fake news.

O ministro requisitou um habeas corpus, mas foi negado pela maioria do STF. O relator do caso, Edson Fachin, defendeu que o tribunal “tem jurisprudência consolidada no sentido de não caber habeas corpus contra ato de ministro no exercício da atividade”.

VÍDEO INFAME

O que pesou sobre Weintraub para que a corte o incluísse no processo foi um vídeo, no qual ele chamava os ministros do Supremo de “vagabundos”. Também alegava que possuem uma “agenda própria” e sugeriu a prisão dos mesmos.

Para o ministro Celso de Mello se trata de uma aparente “prática criminosa”, de um “discurso contumelioso e aparentemente ofensivo ao patrimônio moral” do Judiciário. Algo que se caracteriza como uma injúria de “gravíssima aleivosia”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui